Crivella diz que BRT é “herança terrível”

O Prefeito criticou ainda o consórcio que cuida do modal, afirmando que "não cumprem com o acordado".

O prefeito Marcelo Crivella classificou o sistema BRT do Rio como uma “herança terrível”. A declaração foi dada no fim da manhã desta sexta-feira (21), depois que centenas de passageiros fecharam uma estação em protesto, o que bloqueou o tráfego no corredor Transoeste Oeste e provocou extenso congestionamento na região.

“O BRT é uma herança que o Eduardo [Paes] me deixou terrível. Foi mal calculado, não tem o número de passageiros que eles imaginavam, as calhas por onde eles andam estão espatifadas. Quebra ônibus todo santo dia”, afirmou ele.

Revoltados com a precariedade do serviço, centenas de usuários fecharam, no começo da manhã, a Estação Mato Alto, em Guaratiba, Zona Oeste do Rio. São muitas as reclamações dos passageiros: atraso, superlotação, ônibus quebrados, buracos nas pistas, entre outros diversos problemas.

O prefeito sugeriu concordar com os passageiros e lembrou que o sistema foi alvo de uma intervenção, que terminou com um acordo entre o BRT e a prefeitura que, segundo ele, não foi cumprido pelo consórcio.

“Fizemos um acordo com o BRT, que não foi cumprido. BRT vai ficar sem aumento porque não cumpriu o acordo: consertar as estações, melhorar as calhas, recuperar os ônibus, ar condicionado”, exemplificou.

Crivella enfatizou que, quando a Justiça autorizar reajuste nas passagens dos ônibus municipais, ele irá barrar o reajuste do BRT. “Enquanto não cumprir o acordo que fez com a prefeitura, não vai ter aumento”, disse o prefeito.

Comentários estão fechados.

Send this to a friend