Vila Isabel traz Brasília para Sapucaí sem viés da politíca

A escola de Noel Rosa veio com alegorias e fantasias bonitas, mas não empolgou o grande público.

Vila Isabel traz Brasilia para a Passarela do Samba, mas sem tocar no viés da política, corrupção ou relações governamentais. A escola de Noel Rosa veio com alegorias e fantasias bonitas, mas não empolgou o grande público.

Brasília é irmã de um índio pequeno com coragem de gente grande e que entre sonhos vê o nascimento da cidade. É com esse olhar lúdico que a Vila Isabel apresentou o enredo “Gigante pela Própria Natureza: Jaçanã e um índio chamado Brasil”.

A história começa quando o indígena embarca em uma canoa e adormece. Em sonhos profundos, mergulha no mundo da fantasia e conhece a ave Jaçanã – que levanta voo e lhe apresenta uma grande profecia: o menino Brasil ganharia uma irmã, Brasília, que seria forte e levaria esperança para o povo brasileiro.

A escola da Zona Norte trouxe alegorias grandiosas e um desfile que explorou a fauna e a flora da terra do cerrado. A Vila do carnavalesco Édson Pereira ficou em 3º lugar no Carnaval de 2019.

Segundo o comentarista de Carnaval da BandNews FM, Bruno Filippo, a escola veio bonita e grandiosa para a Avenida, no entanto pecou na escolha do samba-enredo lá atrás.

Comentários estão fechados.

Send this to a friend