PM é preso por dar tiros de fuzil durante protesto, após enterro de mototaxista

Segundo a corporação, PM que disparou para o alto na manifestação desta sexta foi detido em flagrante e vai passar avaliação psicológica.

Durante uma manifestação desta sexta-feira (11), após o enterro do mototaxista Kelvin Gomes Cavalcante, de 17 anos, morto nesta quinta-feira (10) após ser baleado quando estava dentro de uma barbearia na comunidade Para-Pedro, na Zona Norte do Rio de Janeiro, um policial militar atirou para o alto com um fuzil – pelo menos dois disparos foram ouvidos. (veja o vídeo ao fim da reportagem).

A PM disse que ele foi preso em flagrante e que vai passar por avaliação e acompanhamento psicológico:

A Assessoria de Imprensa da Secretaria de Estado de Polícia Militar informa que, na tarde desta sexta-feira (11/10), equipes do 41º BPM (Irajá), por medida de segurança, acompanhavam o sepultamento do jovem Kelvin no cemitério de Irajá.

Após o enterro, um grupo que participava do cortejo obstruiu a via e depredou um ônibus que passava pela Avenida Monsenhor Felix. Policiais intervieram e resgataram o motorista do ônibus. Houve um princípio de tumulto, momento em que um dos policiais se descontrolou e realizou disparos de arma de fogo. O militar foi preso em flagrante e encaminhado à 2ª Delegacia de Polícia Judiciária Militar (DPJM). Ele será avaliado e acompanhado pelo setor de psicologia.

O comando da Polícia Militar reitera que a conduta do policial não é condizente com os protocolos de atuação instruídos e empregados pela Corporação. A PMERJ reafirma ainda o seu compromisso em não tolerar ações descabidas de seus integrantes, punindo com rigor os envolvidos em tais incidentes.

Os vídeos que circulam nas redes sociais estão sendo analisados e serão utilizados na apuração da Corregedoria.”

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of

Send this to a friend